4.7. Circuitos oscilantes

A corrente foi oscilante do condensador para a bobina até que seja cancelado e vice-versa, da bobina para o capacitor. O mesmo aconteceu com as tensões em C e L, com a particularidade já sabia que há uma lacuna entre a corrente e a tensão, de modo que a tensão no condensador é atrasada em relação à intensidade e na bobina de tensão é Avançado com relação à corrente, como refletido na representação vetorial da imagem superior. É evidente porque estamos enfrentando uma oscilação elétrica e, portanto, o nome para estes circuitos.

Não dissemos no início da nossa exposição, que o que analisamos é um circuito ideal, para que a bobina não possui resistência ahmmic; Isso na prática não acontece, porque é pequeno que é, seu valor resistivo está lá e que assume que em cada ciclo de carregamento e descarga do condensador, parte da energia elétrica é dissipado sob a forma de calor, então a voltagem vai gradualmente diminuindo, amortecendo o efeito descrito; Como pode ser apreciado na imagem inferior. Caso contrário, isso significaria que, com um único fardo do nosso condensador, teríamos um ciclo perpétuo entre os dois elementos e isso é impossível. De fato, para que o ciclo seja repetido permanentemente, precisamos da constante contribuição de uma fonte de energia que compensa as perdas energéticas da bobina.

Amortecimento de ondas sinenosculais em um circuito oscilante LC

Imagem 49: amortecimento da onda senoidal em um circuito oscilante LC.
Fonte: própria elaboração.

Se quisermos conhecer a frequência de oscilação do circuito que acabamos de descrever, em que a resistência órmica é nula, temos que lembrar o conceito de ressonância.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *