www.mendoza.edu.ar (Português)

039-dia Reserve Em 15 de junho de 1908, o Conselho Nacional de Mulher assumiu os prêmios e menciona-se de um concurso literário que havia organizado no âmbito do que era então o partido do livro. A partir de então, o nome da data tem variado, no entanto, a essência tem sido relativamente a mesma: honra e distinguir esse objeto complexo e conhecido como livro. Finalmente, em 1924, um decreto oficializou o Partido do Livro e em 11 de junho de 1941, através de uma resolução ministerial, foi decidido mudar a data de data por dia nacional do livro, como agora sabemos.

Faça uma menção detalhada da evolução ou história do livro como suporte de escrita é extremamente extensa para um efêmero, no entanto, podemos resumir seus saltos e alterações mais significativas. Na antiguidade, os suportes de escrita eram pedras, mesas de barro, madeira ou marfim, seda, etc. Em breve, apareceu o papirei, uma espécie de uma folha criada pelos egípcios baseada em uma planta aquática que nasce nas margens do rio Nilo. A elaboração dessas folhas, ou primeiro “papéis”, envolveu um processo de várias semanas – Mantener encharcando o caule, então corte-o em tiras, entrelaçando-os, pressionando-os, extraindo toda a seiva e pressionou-os até que resultem em um tipo de pano que, uma vez seco e pressionado, serviria como suporte de escrita. Com a passagem do tempo, o papiro foi substituído por pergaminho, apoio semelhante, mas criado com peles de animais cuja resistência à passagem do tempo e condições climáticas eram superiores às do papiro. Tanto o papiro como o pergaminho foram rolados, formando rolos que se reuniram escritos no mesmo assunto, instituição, história, etc.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *